NA SALA DE ESTAR 

Por Cynthia Tostes e Bruna Miranda

  • Instagram

A leveza como um respiro, um aconchego, um caminho



Você também tem o hábito de dedicar uma palavra a cada ano? A minha escolha para esse é a leveza.


Um pouco amplo, talvez? Pois quando falamos de leveza podemos pensar em várias coisas, da alimentação a um modo mais despreocupado de se viver. Para mim essa palavra representa o momento porque por bons anos estive focada em conhecer mais a fundo diferentes possibilidades de se viver, produzir, consumir, empreender e etc, voltados especialmente a rever nossos excessos, não só de coisas materiais mas também de informações, de coisas a se fazer, os de dentro de nós... E de buscarmos um equilíbrio, na medida do possível, que se aproxime um pouco mais da sustentabilidade, da liberdade, do cuidado integral, da nossa essência. Ainda vou falar mais sobre essas vivências, mas o que mais me chama a atenção hoje são os vários benefícios que atraímos ao aliviar nossas bagagens, abrindo espaço para o que é realmente essencial. Nada que acontece da noite para o dia, nada que permanece sempre o mesmo, nada para ser visto com exageros (o que acaba tornando a leveza um peso, não é?) e, mais do que tudo, um caminho pessoal. Sinto que leveza também é nos abrirmos ao novo com mais confiança e menos medo ou comodismos, assim como a natureza (que somos) e seus inevitáveis ciclos, todos igualmente úteis.


A leveza de apreciar mais intensamente o agora, o que já temos, enquanto planejamos com mais clareza os próximos passos. A leveza de priorizarmos um equilíbrio - imperfeito, claro. Em refletirmos sobre os dois lados que existem em tudo antes de simplesmente definir um como certo e o outro como errado - divisão que há séculos nos traz bem mais complicações do que soluções. Em nos lembrarmos do valor do que é feito com cuidado e atenção, um pouco a cada dia, o que, assim como a natureza, traz resultados mais duradouros e eficientes do que quando assumimos planos extremos e aparentemente rápidos, perfeitos. Em nos lembrarmos que, assim como as plantas, cada um tem seu tempo e sua história, do qual normalmente apenas vislumbramos a superfície. Como a Cynthia disse lindamente na plataforma, "a forma de ser leve difere entre nós. É preciso 'apenas' se conhecer para saber o que realmente traz leveza à nossa vida. E, para ter esse (auto)conhecimento, a pausa é essencial. Pausa para olhar para dentro e saber aquilo que nos preenche. Seguimos, com o que cabe na bolsa e no coração!". E finalizo com mais um trecho de lá para inspirar que a leveza também te acompanhe, à sua maneira e em seu movimento natural, por esse ano e além. "2020 chega então com essa vontade de priorizar a leveza depois de tantas experiências, movimento, renovações. Pois as escolhas que mais nos preenchem são as que acalmam o coração, e o que nos faz bem, nutre e expande, realmente, traz a leveza como base, sentimento, intuição". ⠀


Bruna Miranda